sábado, 30 de março de 2013

Famílias de desabrigados estão instaladas em frente ao Palácio Tancredo Neves


Estão acampadas na Praça Pe. João Nicolletti, em frente ao Palácio Tancredo Neves e Catedral de Porto Velho, as famílias de desabrigados que tiveram suas casas destruídas em cumprimento a uma ordem de reintegração de posse numa região do que seria o bairro Jardim Santana III.

Segundo relatos das pessoas acampadas no local, e uma reportagem do RondoniagoraTV, estas pessoas teriam sido enganadas por políticos, como Marcelo Reis (vereador) e Dalton Di Franco (atual vice-prefeito), que estiveram no local pouco antes da desapropriação prometendo regularizar a situação dos mesmos naquela região, porém, não foi o que aconteceu, elas tiveram suas casas destruídas por tratores em um dia chuvoso, e totalmente desamparadas muitos deles foram para às margens das ruas com suas famílias e o pouco que conseguiram salvar.

Uma pequena parte destas famílias foram para a casa de parentes, outras permaneceram nas ruas, e a grande maioria se instalou na frente do palácio sede do Poder Executivo Municipal no intento de chamar a atenção da sociedade e das autoridades.

No local encontram-se pessoas idosas e muitas crianças que sofrem com toda a situação, pois estão instalados de forma muito improvisada se valendo de barracas de lona se qualquer segurança. Durante as fortes chuvas que tem caído em Porto Velho o vento derruba algumas delas, além de encharcar a grama. Eles também estão precisando de colchões, lençóis, cobertores e mantimentos também.

O mais absurdo de tudo é que ainda têm pessoas, possivelmente "filhinhos de papai" ou "playboys" (gente estúpida), que querem acreditar que aquelas famílias estão ali porque querem, e ainda ousam passar com seus carros (ou possivelmente dos pais dos mesmos) pela Av. Dom Pedro II buzinando e gritando insultos que vai de "vagabundos" a coisas piores. Em decorrência disto as pessoas ali, principalmente os idosos, mal conseguem dormir nas madrugadas.

Se estas famílias estavam de forma irregular numa propriedade privada era porque certamente não têm onde morar, afinal as políticas de habitação em Porto Velho são pouco eficientes, a começar pela construção de casas populares que é demasiadamente morosa, logo a Prefeitura de Porto Velho têm sua grande parcela de culpa, e hoje parece ignorar aquelas famílias que estão desamparadas dependendo praticamente apenas da solidariedade da sociedade.



  


Postar um comentário