sábado, 13 de abril de 2013

CIDADE DE VITÓRIA | Espírito Santo - BRASIL【S.RÏVER】


Neste mês de abril de 2013 tive a grata satisfação de passar alguns dias na cidade de Vitória, a encantadora Capital do Estado do Espírito Santo. Estive em terras capixabas mais exatamente entre os dias 05 e 10 de abril, o que me possibilitou visitar diversos lugares interessantes, porém, é fato que precisaria de mais tempo para conhecer tudo de bom que a cidade e região tem a oferecer.

A viagem começou com a correria pelos aeroportos uma vez que não há voos diretos de Porto Velho para Vitória, então parti do Aeroporto Internacional Jorge Teixeira na madrugada sexta-feira (05/04), fazendo uma escala em Brasília/DF, e uma conexão em Guarulho/SP, chegando finalmente no meu destino na tarde daquele dia.

Durante o período em que estive na cidade me foram apresentados vários lugares, entre praias, centros de compras, prédios históricos, parques... Praticamente todos muito bem estruturados e convidativos. Os principais lugares que visitei nesta curta temporada foram os seguintes:

- Aeroporto Internacional Eurico de Aguiar Salles: segundo a Infraero o aeroporto não é internacional e opera com voos diretos entre a Capital do Espírito Santo e demais capitais das Regiões Sudeste, Nordeste e Sul. O espaço para embarque e desembarque parece pequeno, e diria até que pode ser menor que o do aeroporto de Porto Velho, porém atualmente está em reformas.

- Av. Dante Michelini: é uma via beira-mar muito movimentada, e lembra um pouco a Av. Atlântica no Rio de Janeiro. A avenida possui um calçadão e uma ciclovia propícios para a prática de exercícios. Segundo um morador local Dante Barros Michelini era um empresário e cafeicultor que teve grande importância para o crescimento econômico capixaba, inclusive foi o pioneiro na exportação de café, produto este que é símbolo e referência do Espírito Santo.

- Praia do Camburi: é a mais famosa da cidade, e apesar de suas águas não serem tão limpas, são poucas as pessoas que resistem tomar banho no local, afinal em dias ensolarados a praia fica bem cheia.

- Monumento a Yemanjá: é uma estátua de uma entidade que para os adeptos do candomblé é tida como "Rainha do Mar", assim como Nossa Senhora dos Navegantes para os católicos. A estátua fica na ponta de uma espécie de mini península artificial, e foi construída em 30/12/1988 na administração de Hermes Laranja, sendo homenagem às tradições afro-brasileiras.

- Shopping Vitória: inaugurado em 28/06/1993 o shopping teve várias expansões e hoje é um dos maiores do país.

- Praia Grande: fica na Ilha do Boi, e apesar de ter uma pequena faixa de areia, a praia também é bastante procurada.

- Parque Pedra da Cebola: o espaço fica no meio da cidade e é oficialmente um marco cultural, paisagístico e ambiental da cidade de Vitória. 

- Palácio Anchieta: no século XVI o local era um colégio comandado pelos jesuítas, mais tarde passando a se tornar a administração das missões no Espírito Santo. No século XVIII os jesuítas foram expulsos de Portugal e suas colônias, incluindo o Brasil, e em virtude disso este prédio foi incorporado aos bens da Coroa, passando a ser a sede administrativa governamental. O prédio sofreu diversas reformas e recentemente restaurações, e hoje é a Sede do Poder Executivo do Estado do Espírito Santo, que abre suas portas à visitação pública exibindo peças recuperadas e obras de artes.

- Catedral Metropolitana de Nossa Senhora da Vitória: apesar de visivelmente precisar de alguns reparos a arquitetura eclética do templo religioso é encantadora.

- Teatro Carlos Gomes: inaugurado em 05 de janeiro de 1927, o teatro está localizado em frente à Praça Costa Pereira, no Centro da cidade.

- Parque Gruta da Onça: o espaço fica na subida de um morro, e consiste em trilhas cercadas pela exuberante Floresta Atlântica, passando por nascentes e riachos. No alto do parque fica a Comunidade Forte de São João, de onde é possível ter uma ótima vista da cidade.

- Convento de Nossa Senhora da Penha: fica no município de Vila Velha, mas ainda dentro da Grande Vitória (Região Metropolitana). O convento está localizado no alto de um morro, e fica muito movimentado no dia de Nossa Sr.ª da Penha (08/04), a Padroeira do Estado.

Durante o tempo que fiquei na cidade de Vitória contei com a grande do jornalista e blogueiro (Pé na Estrada) Altier Moulin e seus amigos, os quais foram demasiados receptivos e amistosos, assim como todas as pessoas que conheci em meus passeios.

Quando andava sozinho não exitava em pedir informações, e sempre fui muito bem atendido por qualquer pessoa que eu abordava, desde o cobrador do ônibus até o simples transeunte. Mas foi no Palácio Anchieta em que os guias turísticos do prédio se mostraram surpresos quando souberam que sou de Porto Velho. Eles acharam curiosa minha forma de falar, pois pelo que me disseram eu não teria sotaque, assim como eles também parecem não ter.

Apesar de haver muitos capixabas radicados em Rondônia, não são muitos os rondonienses que têm Vitória como destino turístico. Particularmente, apesar de não ter familiares na região, eu achei o máximo ter conhecido a Capital capixaba e não me arrependi em nenhum momento, ao contrário, fiquei muito satisfeito com o que vi e conheci por lá, e só lamento uma coisa: não ter podido ficar mais tempo.

Minha estadia em Vitória durou até a tarde do dia 10 de abril, quando no Aeroporto Eurico de Aguiar Salles embarquei rumo a Porto Velho, fazendo uma conexão em Guarulhos/SP, uma “escala com troca de aeronave” em Brasília/DF, e também uma escala inesperada em Manaus/AM, pois não foi possível a aterrissagem no Aeroporto Internacional Jorge Teixeira em Porto Velho em virtude de um forte nevoeiro, ensejando que a aterrissagem acontecesse no Aeroporto Eduardo Gomes em Manaus por volta das 3:45h da manhã do dia 11 de abril, onde todos os passageiros permaneceram até às 7:30h, quando finalmente retornamos para Porto Velho, a querida Capital do Estado de Rondônia.







































 



 





























Postar um comentário