quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Rio Branco, terra do Povo da Floresta


A cidade de Rio Branco encanta qualquer turista pelas suas belezas, mas principalmente pela sua rica história e relação de seu povo com o passado e o carinho que tem pela sua cidade e estado, o Acre. 

O centro histórico é aconchegante, com suas ruas estreitas e monumentos carregados de significados. Embora ainda careça de alguma estrutura, é certo que a cidade está bem avançada quando o assunto é organização e planejamento, e prova disso é a setorização da cidade, através da aplicação do que dispõe o Plano Diretor do Município.

Embora essa distribuição da cidade por setores indique organização, é inevitável deixar de citar um certo transtorno: as distâncias. A rodoviária da cidade por exemplo fica bem distante do centro, e o aeroporto por sua vez fica em outro município, com isso quem chega na cidade e se utiliza de táxi, certamente irá desembolsar um certa quantia. O único shopping da cidade também fica bem distante da região central, porém, apesar de menor que outros shopping, o espaço não deixa a desejar no conforto e opções, reunindo lojas de franquias internacionais e empreendimentos da própria região, além de contar com a franquia de uma das melhores redes de cinema do país.

A região central da cidade é onde encontramos os pontos turísticos mais conhecidos, como o Palácio Rio Branco, que é a sede do Poder Executivo do Estado do Acre; o prédio da Assembleia Legislativa; a Catedral Metropolitana de Rio Branco, que mais lembra um grande mosteiro; as principais pontes sobre o rio Acre e a passarela estaiada Joaquim Macedo que é um dos cartões postais mais conhecido da cidade; incluindo a Calçadão da Gameleira, e o Mercado Velho da cidade, entre tantos outros pontos interessantes para se conhecer. 

Entre as riquezas naturais da cidade o rio Acre é um dos mais acessíveis, pois passa pelo centro da cidade, e além tem inestimável valor histórico para a região, o que não abala a importância do rio mesmo durante a estiagem quando o nível do rio cai expressivamente, podendo chegar a cerca de 1m de profundidade.

Rio Branco é uma cidade que vale a pena conhecer, e como já havia comentado é uma terra amada pelo seu povo, o qual tem orgulho de sua história e seu desenvolvimento, o qual anda sempre de mãos dadas com a proteção e preservação do meio ambiente. Quase tudo na cidade á planejado para remeter à natureza, e é justamente por isso que as pessoas que aqui vivem são conhecidas como o "o povo da floresta".

- Extensão Territorial: 8.835,520 Km²
- População (Censo 2010): 336.038 habitantes
- População (Estimativa 2015): 370.550 habitantes  
- Densidade Demográfica: 38,03 hab/Km²
- Gentílico: Riobranquense

MAPA DE RIO BRANCO

VÍDEO

FOTOS





































quarta-feira, 22 de junho de 2016

Povoado de Santo Antônio 2016【S.RIO】


O povoado de Santo Antônio, além de ser um marco inicial da povoação de Porto Velho, hoje tem um atrativo a mais. O Centro Cultural Indígena e Memorial Jorge Teixeira está de portas abertas desde o primeiro semestre de 2016. O espaço é administrado pelo Exército, e conta com diversas atrações, entre fotos, documentos, vídeos, maquetes e muita informação sobre índios e sobre Marechal Rondon, o grande desbravador e Patrono das Comunicações no Brasil. 

Marechal Rondon é a única personalidade a ser homenageada com o nome de um Estado: Rondônia. Ele foi o responsável pela instalação das linhas telegráficas ligando o sul do país à então selvagem floresta Amazônica. O picadão aberto por Mal. Rondon, de sul à norte do atual Estado de Rondônia, serviu de referência para abertura da rodovia BR-029, hoje BR-364, que liga Cuiabá/MT a Rio Branco/RO, cortando todo o Estado de Rondônia. 

Além do Centro Cultural Indígena e Memorial Marechal Rondon, no povoado de Santo Antônio o visitante pode conferir ainda:

1 Vista da Hidrelétrica de Santo Antônio;
2 Vista parcial do Rio Madeira;
3 Igrejinha de Santo Antônio, construída em 1913;
4 Cemitério de Santo Antônio, o maior do Estado;
5 Marco da divisão Mato Grosso-Amazonas, de quando Rondônia não existia;
6 Obelisco ao Primeiro Centenário da Independência do Brasil - 1822-1922;
7 Vila da Candelária, logo ali nas proximidades;
8 Cemitério da Candelária, também perto, e onde enterraram os operários estrangeiros que morreram durante a construção da épica Estada de Ferro Madeira-Mamoré;

terça-feira, 7 de junho de 2016

Parque Ecológico de Porto Velho 2016【S.RIO】


O Parque Ecológico (ou Natural) de Porto Velho, criado em 1989, está distante cerca de 15 km do centro da cidade, mais exatamente no final da Av. Rio Madeira sentido Norte. O parque não é tão grande, e ainda tem muito o que fazer para ficar ideal, no entanto, o local oferece algumas opções de lazer, como um playground, um mini paredão para rapel, um extenso gramado para picnic's, educação ambiental e trilhas em meio à floresta que dão acesso a uma caverna e a um igarapé, além de haver um viveiro em que a Secretaria Municipal do Meio Ambiente - SEMMA cultiva diversos tipos de plantas, e distribuiu mudas para a população. 

O espaço onde funcionava um minizoológico agora serve para a prática de atividades radicais no alto das árvores.

A ressalva que faço refere-se à ausência de pessoal treinado para fazer as trilhas guidas ou mesmo promover atividades de educação ambiental no parque, além da falta de divulgação sobre o espaço. A maioria dos portovelhenses nem sabem que o Parque Ecológico está funcionando. 

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO
- Terca-feira à Sexta-feira: 08h às 17h
- Sábado, Domingos e Feriados: 09h às 17h

LOCALIZAÇÃO

ÁREA PRESERVADA
- 2.000 hectares

CRIAÇÃO
- O Parque Natural de Porto Velho fopi criado na área do antigo Projeto Fundiário Alto Madeira, Gleba Belmont, através do Decreto Municipal nº 3816, de 27/12/1989.

FOTOGRAFIAS
05/06/2016









sábado, 28 de maio de 2016

Suposto estupro coletivo em favela do Rio

A polícia do Rio de Janeiro está investigando um suposto estupro coletivo de uma jovem por cerca de 30 homens, e a divulgação de imagens relacionados ao fato em redes sociais na Internet.

O acontecimento causou uma grande revolta em muitos brasileiros, e chamou a atenção para a necessidade de mais políticas públicas de proteção às mulheres. Muitas pessoas manifestaram apoio à jovem, e em redes sociais iniciaram um movimento de luta contra o estupro. Mas no caso em questão será que houve mesmo um estupro? A suspeita é que tudo tenha acontecido com o consentimento da jovem.

A questão é que com consentimento ou não crimes foram cometidos, como a veiculação das imagens em redes sociais, porém, apesar de ser necessário discutirmos meios de proteção às mulheres, não concordo em fazer dessa jovem um mártir da causa, o que é algo um tanto exagerado, afinal, não se trata de uma moça pura e inocente, mas sim de uma pessoa de caráter duvidoso. 

Em pesquisas às redes sociais da jovem foram encontradas fotos em que ela aparece cometendo várias infrações, como apologia ao tráfico ao aparecer ostentando armas de grosso calibre. Em outros registros ela aparece posando com possíveis traficantes, segurando rádios (possivelmente para informar  criminosos da presença policial), e numa postagem ela diz "estou indo pro baile 'tal' pra dar pra bandido". Além de tudo isso existem áudios em que tudo indica que ela já era acostumada a se relacionais sexualmente com mais de um homem ao mesmo tempo.

Se for comprovado que realmente houve um estupro, o caráter duvidoso da vítima não justifica uma gravíssima violência, no entanto, seu comportamento inevitavelmente será levado em consideração. Afinal, uma coisa é uma mulher se vestir com roupas curtas e provocantes mas ter uma conduta comportada, e outra coisa é uma mulher optar e gostar de se relacionar com pessoas perigosas, e ainda, cometer vários atos infracionais, demonstrando ter uma personalidade desajustada. 

No caso aqui em discussão, no meu ponto de vista, eu comparo com quem se acidenta no trânsito após ter ingerido bebida alcoólica, ou seja, o acidente é o resultado de uma conduta da própria vítima,  pois sabendo da possível consequência negativa, a pessoa concorre para o resultado. Portanto, se a garota facultou em se relacionar com homens do tráfico, e ainda ajudava eles, bem como já tinha como costume transar com mais de um homem ao mesmo tempo, ela concorreu para o resultado. Portanto, com consentimento ou não, sendo ela uma moça comportada ou não, tanto o comportamento dela quanto o deles devem ser repudiados. 

Assim como qualquer pessoa de bem sou contra e condeno o estupro, e concordo que deve ser extirpado da sociedade, especialmente quando as vítimas são crianças e mulheres de bem. E antes de fazermos congressos, convenções, mesas redondas para debater o tema, devíamos observar que o cerne de tudo está nas famílias e na forma de educação de nossas crianças, as quais deviam receber em casa, dos pais ou responsáveis, ensinamento de como comportar bem e respeitar os próximos, no entanto, o que vemos são pais ensinando as meninas a cantarem e dançarem músicas de letras baixas de escancarado apelo sexual, e os meninos a serem varões e "comedores", instigando nos pequenos a mentalidade machista que ainda hoje persiste em nossa sociedade. 

AS INVESTIGAÇÕES CONTINUAM, MAS ATÉ O MOMENTO A POLÍCIA CIVIL DO RJ AINDA NÃO SABE SE HOUVE ESTUPRO OU NÃO

"A gente está investigando se houve consentimento dela, se ela estava dopada e se realmente os fatos aconteceram. A polícia não pode ser leviana de comprar uma ideia de estupro coletivo quando na verdade a gente nem sabe ainda", disse Alessandro Thiers (Delegado titular da DRCI).