domingo, 23 de março de 2014

Cheia do Rio Madeira | 22.03.2014 COMUNIDADE DO BELMONT


Neste último sábado (22.03.2014) o rio Madeira alcançou o nível de 19,43 metros, e continua subindo. Neste dia estive visitando a comunidade da Estrada do Belmont no extremo norte do município de Porto Velho, e lá encontrei muitas casas encobertas pela água do rio Madeira que avança extraordinariamente para suas margens.

A partir do trecho alagado da Av. Farquhar no bairro Nacional navegamos por boa parte da região até alcançarmos a Estrada do Belmont que dá acesso a algumas comunidades no baixo Madeira. É nessa estrada onde encontramos várias empresas de distribuição de combustível (Petrobrás, Ipiranga...) e por onde também costumavam transitar vários caminhões tanque.

A Estrada do Belmont tem início na Av. Lauro Sodré, nas proximidades do Parque Circuito, e percorre vários bairro da Zona Norte de Porto Velho, seguindo ainda mais a norte margeando o rio Madeira, e é justamente neste ponto em que a estrada (e todo seu entorno) hoje encontra-se debaixo d'água. Em alguns pontos a lâmina d'água chega a atingir os dois metros de altura, e com isso várias casas das pequenas comunidades localizadas na região estão totalmente alagadas, inclusive ninguém mais se encontra no local.

Diante da situação várias famílias foram alojadas provisoriamente numa escola pública municipal que está instalada nas dependências do Projeto Missionário JOCUM. Outras foram recebidas por familiares residentes em locais seguros da cidade de Porto Velho.

Esta é a maior cheia que se tem notícia do rio Madeira, e com isso vários pontos do Centro de Porto Velho estão alagados, incluindo inúmeras casas, prédios de órgãos públicos, praças, patrimônis históricos, e muito mais. Muitas outras regiões à margem do rio também estão com sérios problemas, como por exemplo o povoado de São Carlos que está totalmente debaixo d'água.

Outras regiões da Amazônia Ocidental estão sofrendo com as enchentes, pois agora não é só o rio Madeira que está extraordinariamente cheio. O rio Mamoré por exemplo transbordou muito rapidamente nesta segunda quinzena de março, e hoje já traz sérios transtornos para as cidades de Guajará-Mirim/RO e Guayaramerín no Departamento do Beni - Bolívia.

A rodovia BR-364 que em boa parte de seu percurso margeia o rio Madeira, está em alguns pontos encoberta de água, e com isso as cidades de Nova Mamoré e Guajará-Mirim, assim como o Estado do Acre estão totalmente isolados via terrestre. O trânsito  de veículos pequenos e ônibus foi logo proibido, e até pouco tempo era permitido apenas a passagem de veículos de grande porte, como caminhões e guinchos. 

Considerando que ainda chove muito nesta região da Amazônia, e que o rio Mamoré é um grande afluente do rio Madeira e também está cheio, possivelmente a situação em que se encontra Porto Velho ainda vai perdurar por um bom tempo.


















Postar um comentário