terça-feira, 1 de maio de 2012

EFMM100 anos | Dia do Centenário da Madeira-Mamoré em Guajará-Mirim


Em 30 de abril de 1912 foi o dia em que a ferrovia Madeira-Mamoré foi efetivamente e finalmente concluída, ocasião em que foi instalado o último dormente da estrada de ferro em seu ponto final, a atual cidade de Guajará-Mirim. Apenas alguns meses mais tarde, dia 1º de agosto de 1912, ocorreu a sua viagem inaugural.

A Madeira-Mamoré foi construída em obediência ao Tratado de Petrópolis, assinado entre as Repúblicas do Brasil e da Bolívia, o qual determinava que pela cedência da área onde hoje é Estado do Acre, o Brasil se comprometeu a construir uma ferrovia margeando os rios Madeira e Mamoré, a fim de que a Bolívia pudesse escoar a sua produção de borracha para o Oceano Atlântico.

A estrada de ferro parecia ser algo impossível de se construir em decorrências das inúmeras dificuldades encabeçada pela localidade onde foi construída: a gigante e inexplorada floresta Amazônica, da qual outros problemas surgiam: animais perigosos, índios hostis, doenças desconhecidas, calor escaldante...


A Madeira-Mamoré foi construída no período de 1907 a 1912 pelo milionário estadunidense Percival Farquhar. E ao custo de muitas vidas e graças aos investimentos na obra todos os problemas foram superados até que a ferrovia tivesse seu último dormente instalado, prova disso foi o surgimento de várias povoações de estruturas consideráveis em meio à Amazônia, sendo a principal delas o então povoado de Porto Velho.

Podemos até considerar que a partir dos anos finais da construção da Madeira-Mamoré o povoado de Porto Velho, que mais tarde viria se tornar cidade e município em virtude dessa obra, viveu um dos melhores tempos da sua história, considerando que a localidade apesar de pequena, "era uma das poucas da América Latina com água encanada, energia elétrica, fábrica de gelo e dois jornais editados em inglês, o The Porto Velho Times e o Porto Velho Courrier" (O Estado de São Paulo, 10 de julho de 2004).





Cem anos depois da conclusão das obras uma grande festa se repetiu na cidade de Guajará-Mirim em comemoração ao Centenário da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, que sem dúvida é uma das mais importantes riquezas históricas do país.

No dia 30 de abril de 2012 foram realizadas diversas atividades na cidade que contaram com a presença de várias autoridades (Secretário de Estado da Cultura, Esporte e Lazer; Superintendente de Estado do Turismo, Prefeito de Guajará-Mirim, entre outros) e de uma comitiva da Superintendência do Instituto de Patrimônio Histórico, Artístico Nacional - IPHAN, além da partição dos guajaramirenses.

Pela manhã, na agência central dos Correios, foi realizada uma solenidade para o lançamento de uma exposição de selos sobre ferrovias pertencente ao Departamento de Filatelia da Administração Central dos Correios em Brasília, com visibilidade especial para o selo da Nacionalização da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. Os estudantes da Escola Almirante Tamandaré foram os convidados para assistir a solenidade e os primeiros a verem a exposição já aberta ao público.





Já nas instalações da Escola Alkindar Brasil de Arouca, houve a apresentação de uma palestra sobre a História de Rondônia ministrada pelo Professor e Historiador Anísio Gorayeb. Na ocasião participaram da palestra praticamente todos os alunos do estabelecimento educacional.






A Rádio Educadora, uma das mais ouvidas na cidade tendo seu estúdio localizado em frente à Praça Mário Corrês, fez uma exímia cobertura das atividades que aconteceram em Guajará-Mirim alusivas ao Centenário da Madeira-Mamoré, abrindo espaço em um de seus programas para um bate papo sobre a ilustre aniversariante, tendo como convidados o Dr. Ricardo Leite (Procurador Federal junto ao IPHAN), Chicão (Secretário de Estado da Cultura, Esporte e Lazer), Anísio Gorayeb (Professor e Historiador), Sáimon Rïver (blogueiro e produtor de vídeos regionais para o YouTube), Atalíbio José Pegorini (Prefeito do Município de Guajará-Mirim), entre outros.


No fim do dia aconteceu na Praça dos Pioneiros (conhecida como Praça do Museu Municipal) uma Missa Ecumênica seguida de apresentações artístico-culturais, tendo a ilustre participação dos famosos Bois Malhadinho e Flor do Campo (os protagonistas da mais expressiva manifestação cultural da cidade, o Duelo da Fronteira). 

Diante das inúmeras atividades que aconteceram em todo o Estado de Rondônia em homenagem ao Centenário da Madeira-Mamoré, concentradas especialmente nas cidade de Porto Velho e Guajará-Mirim, também foi divulgado neste dia tão festivo as notícias de reformas e revitalização de um trecho turístico da ferrovia em Porto Velho, além da proposta dos munícipes de Guajará-Mirim em também serem contemplados com a revitalização de um trecho turístico da ferrovia, e para isso já possuem um Projeto de Viabilidade e estão dando andamento a um abaixo-assinado.

Também foi impulsionado neste dia a questão da Propositura da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré a Patrimônio da Humanidade, cujos trabalhos já estão em andamento através da disponibilidade de um site oficial, imagens, vídeos, e uma petição online (http://www.peticoesonline.com/peticao/estrada-de-ferro-mandeira-mamore-para-patrimonio-mundial-da-unesco/443) na qual todos os amantes da história do Brasil e mais especialmente desta ferrovia são convidados a assinar e apoiar a causa.

Com 100 anos de história a Madeira-Mamoré hoje volta a ser o centro das atenções, entretanto ainda é pouco conhecida por grande parte dos brasileiros, ao passo que alguns estrangeiros demonstram extraordinário interesse e empolgação com a história da fantástica obra desta ferrovia. Portanto este é o momento de apresentar a Madeira-Mamoré para todo o Brasil, a fim de que todos também tenham conhecimento da importância e relevância que a ferrovia teve para o país.
Postar um comentário