terça-feira, 10 de março de 2015

Vamos às ruas sim, mas algo mais precisa mudar... Dentro de cada um de nós

Foto da Internet
Primeiramente vamos compreender o significado da palavra HIPÓCRITA: "um adjetivo cujo sinônimo é fingido; que finge possuir um sentimento que não possui; que demonstra um pensamento e/ou uma opinião diferentes dos que realmente têm; que por interesse ou por medo de assumir sua verdadeira personalidade finge qualidades que não apresenta". Pois bem, é muito comum muitos de nós reclamar do cenário político e condenar com veemência os políticos brasileiros chamando-os de bandidos e corruptos, porém se pararmos para analisar, nós por vezes também somos corruptos no nosso dia a dia, então por que nos achamos no direito de cobrar os políticos, se eles são reflexo da sociedade?

Não quero que deixem de reclamar ou mesmo cobrar os políticos as responsabilidades deles, aliás, isso será sempre o ideal, pelo mesmo quando feito de forma eficiente, porém, acredito que primeiramente devemos "olhar nosso próprio rabo antes de falar dos outros". 

Como sempre digo, e de certa forma me entristece por constatar que é um fato, o brasileiro (como povo; sentido genérico, afinal há algumas exceções), é caracterizado pelo seu individualismo, egoísmo e oportunismo, ou seja, por sua malandragem; pelo seu "jeitinho brasileiro", que apesar de muitos acharem bonito, eu repudio.

Ir às ruas é protestar é algo sadio e interessante, mas pouco eficaz, afinal, algo mais precisa mudar além da vontade de querer ir às ruas. Precisamos mudar nossos hábitos; nossos vícios; nossa cultura. Precisamos parar de pensar só em nós mesmos e passar a pensar no coletivo, afinal é sabido que juntos sempre seremos mais fortes.

No entanto, o que acompanhamos no dia a dia é uma sociedade em que a gentileza é raridade e o "jeitinho brasileiro" a regra. Uma sociedade em que quer se sobressair às custas de outros, e às vezes à qualquer custo. Seja no trânsito quando mudamos de faixa sem demonstrar nossa intenção, ou ainda quando estacionamos na vaga para idoso ou então na frente da rapa de deficientes, quando furamos alguma fila, ou mesmo quando puxamos o tapete do amigo no trabalho, quando notamos que o troco foi dado a maior mas não devolvemos a diferença, quando vendemos nosso voto em troca de benefícios próprios imediatos, ou mesmo quando votamos em algum candidato sabidamente corrupto, mas o fazemos apenas porque nos fez um favorzinho recente, quando jogamos o lixo na rua com preguiça de procurar uma lixeira, quando puxamos a energia da rua sem passar pelo relógio de registro, são várias as situações em que nos vemos bancando os oportunistas e sendo tão corrupto quanto os políticos que enchemos a boca pra chamar de bandidos.

O ponto que quero chegar é que estamos sendo hipócritas quando xingamos os políticos, porém no nosso dia a dia agimos de forma desonesta achando que estamos sendo espertos, mas apenas estamos nos igualando de certa forma à maioria dos políticos corruptos desse país.

A imagem que apresento nessa publicação mostra de forma clara a hipocrisia que é latente na sociedade brasileira, e que enseja que sejamos um dos países mais corruptos do mundo. 

Portanto, meus caros, antes de querer mudar o país, precisamos primeiramente mudar nos mesmos. E no dia que tivermos uma sociedade unida e descente, certamente teremos políticos igualmente honestos, ou pelo menos a maioria deles, e não inverso como vemos na atualidade.

Autoria: Sáimon Rio
Postar um comentário