segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Interesse em Cargo Comissionado


Recentemente, enquanto trabalhava, um colega do Interior com quem não conversa muito veio falar comigo. Ele disse que tenho desenvolvido um bom trabalho no DETRAN desde minha admissão (GRH, GTI e DEO), e por fim perguntou se eu não teria interesse em algum cargo comissionado. Eu respondi que como profissional eu tenho um sério defeito: a possível falta de ambição. Claro que isso em demasia é prejudicial, mas sua ausência também não muito boa, afinal, sem ambição não progredimos, e o progresso; ascensão é tudo o que jamais terei no DETRAN/RO, afinal, na posição em que estou progredir seria ser chefe de algum setor, porém, ocupar um cargo comissionado é abrir mão de sua personalidade, princípios e liberdade de expressão, e se duvidar pensamento, e de tudo isso eu não abro mão.

Por outro lado, apesar de não cobiçar os disputadíssimos cargos comissionados do DETRAN, os quais muitos servidores estatutários por vezes são capazes de enganar e trair para tê-los, e fazer corpo mole quando não tem um, eu sinceramente me orgulho por tentar sempre ser o mais profissional possível no exercício das minhas atividades, e diga-se de passagem na prática são bem mais complexas do que as previstas no Plano de Carreiras dos Servidores da Autarquia.

A questão é que eu gosto do DETRAN e gosto trabalhar ali; fazer o que faço, e por isso procuro me inteirar e fazer sempre o melhor, nem que pra isso tenha que comprar brigas com algumas pessoas por ali.

Pra quem não é servidor público, o cargo comissionado é muito disputado não pelo exercício das atividades, mas pelo valor em pecúnia que se recebe quando assumem essas funções, e sinceramente dinheiro é sempre muito bem vindo, porém no meu caso, por mais dificuldades que enfrente, não tenho interesse em correr atrás disso.

Hoje (10/11/2014) cheguei às 07h10min e saí às 16h17min, sendo que nosso expediente começa às 08h00min e vai até 14h00min, e isso não é uma excepcionalidade, afinal por várias vezes cheguei cedo e saí tarde, e isso é facilmente comprovado pelos acessos ao meu computador institucional ou melhor ainda, pelas movimentações do e-mail funcional, e apesar de na atualidade não receber nada por isso, por ora sinto-me gratificado ao ouvir um caloroso "muito obrigado" de um usuário ou servidor que pude ajudar.

Voltando à falta de cobiça, lembro-me de um embate que tive recentemente com uma pessoa aqui no Facebook. Ela defendia com muita veemência o Governador candidato à reeleição, e eu resolvi rebater suas publicações pois a meu ver eram tendências, até que em certo momento diante de respostas evasivas disse que toda aquela defesa poderia ser puxassaquismo, cobiça por CDS, e quiçá incompetência profissional, e por aê vai. Diante do meu comentário ele respondeu que "incompetência é passar uma vida reclamando do órgão que te sustenta e não conseguir sair dele". Me identifiquei com aquele comentário, afinal ele não esteva de todo errado, e por isso resolvi ver o perfil e as fotos da pessoa (a foto avatar era um número 15), foi quando reconheci a pessoa: um servidor do DETRAN/RO. Então respondi a ele incompetência maior seria depender da reeleição de um candidato pra continuar empregado, mas também ratifiquei parcialmente o que ele disse, afinal, eu também sou incompetente por não ter tido interesse e força de vontade pra sair do DETRAN/RO; ser aprovado num concurso público e ir para um órgão público melhor, no entanto, nem concursos tenho feito com regularidade, e no último que fiz, o da própria Autarquia, tive um desempenho medíocre que só comprova o quanto estou emburrecendo. 

Ocorre que realmente acabei me acomodei, e isso não é nada bom, e até atribuiria isso ao fato de também gostar da instituição DETRAN/RO, e isso não quer dizer que eu necessariamente tenha que aprovar suas administrações, além do mais se reclamo muito possivelmente seria porque há muita coisa errada no DETRAN/RO, afinal qualquer pessoa sensata não iria concordar que a instituição em que trabalha continue cometendo falhas, e se reclama é porque quer ver a instituição onde ganho o seu sustento respeitada e bem vista, nem que pra isso seja necessário expô-la na expectativa de aja intervenções, afinal, geralmente esperar pelo controle interno (sentido lato) é por vezes o mesmo que nada.

Durante toda minha carreira de quase 06 (seis) anos no DETRAN/RO só exerci dois cargos comissionados, e interinamente (por breve período), o de Chefe da Divisão de Pessoal e o de Diretor Executivo de Operações, e lembro que para esta última nomeação interina ainda há uma historinha bem desagradável não convém agora.

Por derradeiro, e como de praxe, digo que estou de boa... Tenho minhas limitações, meus transtornos; dificuldades, mas quem não tem. O que importa é que a gente tem que ao menos tentar ser feliz, e fazer nosso trabalho com esmero e responsabilidade, afinal, é o nosso nome que está atrelado ao nosso desempenho profissional, e se eu já sou pouco quisto por grande parte dos servidores do DETRAN/RO no Estado trabalhando como trabalho, imaginem o que falariam de mim se fizesse corpo mole.

Postar um comentário