quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

O serviço de transporte coletivo urbano de Porto Velho ainda é precário

Esta foto foi tirada hoje (11/12/2013) por volta das 8h05min, o número do ônibus é 302044 da linha Norte Sul - Empresa Rio Madeira. O veículo não, além de velho, não conta com as alavancas que devem ser utilizadas para remover as janelas no caso de necessidade de uma saída de emergência. Isso prova as condições precárias dos ônibus que servem a população de Porto Velho, bem como a negligência das autoridades locais.
O serviço de transporte coletivo urbano de Porto Velho é um do piores (se não o pior) das Capitais Brasileiras. O mais impressionante é que quando a tarifa aumenta o serviço piora descaradamente sem qualquer intervenção da Prefeitura ou órgãos de fiscalização. A frota colocada para servir a população é sucateada, isto é, a maioria dos veículos são ônibus sucatas da região Sudeste. Em alguns deles a empresa se quer tem a decência de tirar os adesivos com os números telefônicos do órgão de trânsito da cidade de origem.

Os ônibus que circulam diariamente em Porto Velho são demasiados velhos e sujos para servirem uma Capital (a terceira da Região Norte), e diria que o sistema de saída de emergência dos mesmos não passam por vistoria e tampouco por manutenção.  As duas empresas que exploram o serviço parecem fazer questão de oferecer um serviço de péssima qualidade aos usuários, tendo em vista que os ônibus não tem horários certos; os motoristas vivem com pressa e por vezes saem enquanto ainda têm passageiros subindo; os idosos por vezes são ignorados quando estão sozinhos nos pontos; e alguns dos poucos veículos que tem o elevador para deficientes estão geralmente com o equipamento quebrado, chega a ser desolador ver a expressão de um cadeirante que após esperar dezenas de minutos por um ônibus, e quando este aparece o motorista diz que o elevador tá quebrado.

Há alguns anos quem vivia em Porto Velho teve a oportunidade de ver vários ônibus com ar-condicionados, inclusive a linha Presidente Roosevelt era uma das melhores da época, porém, com o passar do tempo o número de veículos com o equipamento foi reduzindo até que hoje não exista nenhum ônibus climatizado, e pasmem, a justificativa de um representante da Secretaria Municipal de Trânsito para a retirada dos ar-condicionados seria o fato da cidade de Porto Velho ser muito quente e os aparelhos apresentarem problemas com frequência. Ou seja, para a Prefeitura à época a empresa não precisava gastar o dinheiro que lucrava dos cidadãos para fazer a manutenção dos aparelhos, afinal ar-condicionado é coisa para localidades de clima gelado.

O mais impressionante é que as empresas aparentemente têm alguma imunidade, afinal não vemos nada de prático ser feito por parte dos órgãos de fiscalização em exigirem melhorias na prestação desse serviço essencial, mas ao contrário, quase que anualmente a Prefeitura Municipal de Porto Velho aumenta significativamente a tarifa de ônibus (que hoje custa R$ 2,60).

E tem mais, considerando que os ônibus são muito velhos e as saídas de emergência não são testadas periodicamente, eu sinceramente imagino que nossas autoridades estejam esperando um sinistro, em que morram tragicamente várias pessoas dentro de um ônibus para que só então exijam vistorias mais detalhadas nos veículos que circulam na cidade.

Porto Velho está chegando aos seus 100 anos e é uma importante cidade da Amazônia, porém ainda vem sofrendo com demasiadamente com a falta de estrutura digna aos seus cidadãos e visitantes. E isso decorrente da politicagem podre que está encravada em toda a estrutura estatal, envolvendo todos os poderes e em todos os níveis. Como digo, "PORTO VELHO/RONDÔNIA, PEDE SOCORRO AO SEU POVO".
Postar um comentário