sábado, 19 de junho de 2010

Seria eu um risco para a segurança nacional?

Numa volta pelo centro de Porto Velho (em 18.06.2010), a fim de tirar fotografias de locais interessantes da cidade, bem como visando posteriomente nutrir os espaços de mídia das minhas páginas na Internet (Orkut, Flikr, Skyscrapercity, YouTube...), após terminar de registrar a decoração para a Copa 2010 da Av. Campos Sales com Av. Pinheiro Machado, resolvi fotografar a fachada da entrada lateral da 17ª Brigada de Infantaria de Selva (fotos a seguir). Quando me dirigia para um outro ponto do centro da cidade um cara interrompeu sua caminhada e vei até mim, quando me perguntou não muito amistosamente porque e para quê eu tirei fotos da entrada da 17ª BIS, e eu respondi que tirara por que quis e que não haveria nada que me impedisse.

Foto tirada em 18.06.2010, a partir da Av. José Bonifácio

Foto tirada em 18.06.2010, a partir da Av. José Bonifácio

Foto tirada em 18.06.2010, a partir da Av. José Bonifácio

Possivelmente o homem era um dos militares daquela brigada, e depois de muita insistência disse a real finalidade das fotos (o que não era obrigado a fazer, pois o mesmo não estava uniformizado e eu não adentrara as dependências do estabelecimento militar para fotografar, apenas o fiz a partir da Av. José Bonifácio). Mesmo porque não há nada que me proiba de registrar a fachada do mesmo, tanto que já o fiz com as edificações da Base Aérea de Porto Velho, 5º Batalhão de Engenharia e Construção, e a Brigada de Infantaria de Selva de Guajará-Mirim. E em nenhuma das vezes tive problema de ser questionado acerca do que fazia (tirar foto).


Monumento a Santos Dumont - Base Aérea de Porto Velho


Base Aérea de Porto Velho


5º Batalhão de Engenharia e Construção

Brigada de Infantaria de Selva de Guajará-Mirim/RO

Brigada de Infantaria de Selva de Guajará-Mirim/RO

Despois de esclarecer a finalidade da foto a contragosto, mas apenas para encerrar a conversa (pois estava perdendo tempo) o mesmo falou que tal procedimento era por "medida de segurança". E é nesse ponto que me pergunto: o que eu, um cara que gosta de sair por ae munido apenas com uma mochila e uma máquina fotografica poderia fazer contra um estabelecimento militar? Que riscos eu poderia oferecer naquele momento à soberania nacional? Bom. Isso teria sido até cômico se não tivesse sido uma encheção de saco.

Quando ambos pegaram o seu rumo, eu só de pirraça disse que iria a partir dali tirar fotos do 5º Batalhão de Engenharia e Construção, e o outro replicou que iria ligar para o Serviço de Inteligência (ou Segurança) do batalhão.

Eu até teria ido lá, mas estava a pé, como praxe em meus passeios pela região central de Porto Velho.

Ah! E levando em consideração que o cara entrou nas dependências da 17ª Brigada suponho que ele era um militar mesmo.
Postar um comentário