quinta-feira, 31 de maio de 2018

Minha opinião sobre a greve dos caminhoneiros

A greve dos caminhoneiros acabou e poucos benefícios foram alcançados, ao menos para o povo em geral. A meu ver a greve trouxe mais ônus do que bônus, afinal a economia do país que estava aparentemente saindo de uma crise ficou seriamente abalada, especialmente no setor produtivo (animais, leite, legumes...). Sem o recebimento de matérias-primas a indústria também foi prejudicada, muitas fecharam as portas e empregados que ficaram de braços cruzados, sem falar nos outros problemas sociais enfrentados pelo povo brasileiro, enfim. Somado a isso as concessões aos caminhoneiros vão totalmente contra ao que eles em tese reivindicavam (redução dos impostos e gastos públicos), afinal, para reduzir o valor do diesel e não afetar o desempenho da Petrobrás que estava recuperando, o governo vai subsidiar a redução temporária de tributos sobre esse combustível, e pra isso, embora a Fazenda negue é possível que haja a majoração de outros tributos para isso. 

A meu ver não será uma greve ou um outro tipo de travamento do funcionamento regular do país que vai acabar com a corrupção, tampouco a prisão de políticos corruptos, mas sim uma mudança social profunda e expressiva, em que deixemos de ser oportunistas e sejamos mais honestos e atuantes. Muita gente que bradou apoio aos caminhoneiros em prol do fim da corrupção nos Governos também comete pequenas corrupções, as quais se diferenciam daquelas dos políticos devido ao quantum de poder que cada um tem. E mais, no Facebook observei muitas pessoas que são próximas de políticos corruptos locais ou mesmo confraternizam com eles postarem mensagens contra a corrupção bancando os paladinos da "moral e bons costumes". 

Diante de tudo isso vale lembrar que as eleições estão aí, e sinceramente não vou me surpreender se muitos políticos bandidos forem conduzidos/reconduzidos ao poder, assim como aconteceu no pós #vemprarua, afinal, ao meu ver, o "povo (em sentido genérico) não é vítima da corrupção que assola o país, mas cúmplice". 

INTERVENÇÃO MILITAR
Quanto ao pedido de intervenção militar, a meu ver isso ratifica o quão a educação brasileira é precária, ou então é latente o desejo das pessoas em busca de um "Salvador da Pátria" ou mesmo de uma medida externa e supostamente eficaz para mudar a triste realidade da política do país, sem se tocarem de que a mudança não está no regime, nem no sistema, tampouco na forma de governo de um país, mas sim no cultura do povo; da sociedade. O fim da corrupção no Brasil (assim como em qualquer país), deve partir do meio social através da mudança de comportamento das pessoas. Nesse sentido lembro que na maioria dos países de primeiro mundo não há qualquer sistema totalitário, tampouco são governados por militares, mas são desenvolvidos e tem políticos menos corruptos por causa do povo que é avançado, maduro e tão desenvolvido quanto ao país, ao contrario do povo brasileiro, cuja cultura forma os mais improváveis e desqualificados representantes do povo que pode existir. 

Ainda sobre a intervenção militar, um colega policial me disse que militares teriam mais caráter que os civis, e seriam bons governantes, acreditando na total idoneidade das instituições militares, porém, embora seja admirável a disciplina e organização do meio militar, é sabido que as instituições das Forças Armadas, por exemplo, não estão imunes à corrupção, afinal, basta uma simples pesquisa Google para ver os casos que estão sendo investigados pelo Ministério Público e apuram desvios de milhões de reais. 

Não podemos ignorar o quê a história nos revela sobre a época em que militares tiveram o poder no Brasil, e que embora tenham seus pontos positivos nos assombra os acontecimentos terríveis da época envolvendo os militares. 



 


FAKE NEWS
Nesse período de greve dos caminhoneiros não foram poucas as informações falsas disseminadas nas redes sociais. Entre elas teve um vídeo de uma manifestação em Brasília em que pessoas tomavam a rampa do Congresso Nacional, que na verdade, se tratava de um acontecimento na época das manifestações do #vemprarua. Também houve a divulgação de áudios de pessoas se passando por representantes de organizações de caminhoneiros, e mais recentemente foi divulgado o suposto assassinato de um caminhoneiro por policiais rodoviários federais, sendo que na verdade se tratava de uma notícia antiga de um homem encontrado morto numa cidadezinha.

TV ABERTA CONTRA OS CAMINHONEIROS
No domingo passado (27/05/2018) várias pessoas me mandarem mensagens dizendo pra não assistir o programa Fantástico da Globo, porque estariam preparando várias matérias contra a greve. Não demorou muito vi postagens em redes sociais dizendo que jornalistas e outras emissoras de televisão aberta do país estariam também contra o movimento dos caminhoneiros. Diante disso eu resolvi assistir o programa dominical da Globo pra ver se de fato era verdade o que estavam dizendo, porém, me deparei com matérias muito bem produzidas e que em nenhum momento colocava a população contra o movimento, mas tão somente mostrava as consequências do que estava acontecendo, em sua maioria prejuízos em todo o país. Notei que as matérias ouviam caminhoneiros mas também autoridades e pessoas comuns, as quais chancelavam o que estava sendo noticiado, além das imagens como a de milhares de litros de leite sendo jogados fora, frangos mortos por falta de ração que não chegavam às granjas, feiras sem hortaliças e legumes, além, claro, de fábricas fechadas e postos de combustíveis sem o produto, enfim, se tratavam das mesmas informações veiculadas nas demais emissoras de televisão aberta do país. 

Questionei uma colega sobre os motivos de ser contra as matérias jornalísticas sobre a greve, e ela me disse que elas estão mostrando os problemas causados pela greve e que isso colocaria o povo contra os caminhoneiros. Oras, mostrar a realidade do que está acontecendo é tomar partido? O povo não tem o direito de saber o que está acontecendo? 

É sabido que a imparcialidade nos meios de comunicação não existe, e que a maioria dos veículos são capazes de fazer qualquer coisa para defender seus interesses próprios, mas o que venho acompanhando não passa do relato de acontecimentos reais em diversos pontos do país. 

Ainda nesse sentido fui atrás de meios de comunicação internacionais, e me deparei com a mesma situação, elas noticiavam os prejuízos causados ao país em decorrência da greve, assim como os veículos de comunicação brasileiros. Os correspondentes da Reuters, uma das maiores agências de notícias do mundo, disse o seguinte em 26/05/2018: "Um protesto de caminhoneiros sobre os preços do diesel no Brasil que estão prejudicando o fornecimento de combustível, alimentos e remédios continuou pelo sexto dia neste sábado, apesar do presidente Michel Temer ordenar que os militares removessem as estradas bloqueadas no dia anterior (tradução do Google)".

Voltando ao Fantástico, entre as várias matérias apresentadas mostraram uma enaltecendo os caminhoneiros, na qual foi revelado que um dos mais célebres repórteres da emissora é filho de um desses profissionais; e também mostrou outra matéria muito boa sobre o abandono de outros modais de transporte pelo Governo Brasileiro, além do desperdício de dinheiro público com obras mal planejadas que até hoje não estão atendendo qualquer finalidade. 



Postar um comentário