sexta-feira, 30 de maio de 2008

Dia histórico para a Medicina Brasileira



O dia 29 de maio de 2008 é um dia histórico para o Brasil.

Nesta data o STF, após uma pausa para estudos, finalmente aprovou as pesquisas com células-tronco embrionárias no Brasil, o que traz grande esperança aos portadores de deficiências físicas e de determinadas doenças.

Os ministros da suprema corte brasileira, o STF (Supremo Tribunal Federal), se reuniram por volta das quatorze horas do dia 29 de maio de 2008, para discutirem sobre a aprovação ou não da constitucionalidade da Lei de Bio-segurança, sendo esta, após debates acirrados entre os ministros, considerada constitucional por seis votos a cinco.

Dos cinco ministros que votaram contra, quatro sugeriram modificações na lei para poderem aprová-la, e um alegou a inconstitucionalidade integral da lei de Bio-segurança.

O Presidente do STF, Gilmar Mendes, levantou a questão de criação de um órgão que fiscalizasse as clínicas e laboratórios que armazenam embriões com demasiado rigor, e sugeriu ainda que fosse criado um Comitê de Ética Científica, órgão este que manteria a competência de fiscalização e aprovação de pesquisas.

O Advogado Geral da União declarou que já existe um órgão semelhante ligado ao Ministério da Saúde, mas este existente foi criado por um regulamento, e não descartou a necessidade de que tal órgão seja expressamente previsto e regulamentado por lei, o que garantiria maior segurança ao órgão.

As células-tronco podem se transforma em qualquer tecido do corpo humano, e as embrionárias, por serem mais jovens, traz maiores possibilidades de sucesso em pesquisas inovadoras.

A comunidade científica espera agora maior investimento da iniciativa privada em pesquisas envolvendo células-tronco embrionárias, tendo em vista a escassez dos investimentos públicos. Também advertiram que os resultados destas pesquisas surgirão a longo prazo, mas comemoram agora poderem das andamento em suas pesquisas e afirmam que o pior seria se não pudessem pesquisar, pois assim não saberiam se teriam sucesso ou não nos estudos científicos.

O embrião armazenado em laboratório mais antigo do Brasil tem 17 anos.

Postar um comentário